domingo, 27 de fevereiro de 2011

Sonho de natureza e temática algo repetitivas.

Era o dia do meu aniversário, de tarde, e chovia. A minha família (pais e primos) estavam na sala, como é hábito, e eu esperava que o David chegasse da Escócia, sozinho, para vir a minha casa visitar-me, uma vez que eu tinha tido alvará da minha mãe para deixá-lo vir. Vi-o vir, no meio da chuva torrencial, com uma indumentária nova: calças azuis e um casaco axadrezado amarelo com um capuz forrado com pêlo. Precia-me distante e curiosamente, transportava com ele um contentor do lixo daqueles mais pequenos, verdes, com rodinhas. Acabei por me oferecer a fazer esse trabalho por ele. Tentei convencê-lo a vir jantar connosco mas sem sucesso.
O David não chegou a vir a minha casa, acho que foi primeiro a casa ou assim. Eu fui rondar a casa, que no sonho ainda era a antiga casa dele e da Astrid, perto da minha. Acho que ela estava a cozinhar, estava luz acesa lá dentro, e eu a espreitar cá de fora. Estava uma foto da Astrid colada à janela.
Lembro-me ainda de estar sentada na sala de jantar com a minha mãe e esta achar que a Astrid tinha 35 anos, e eu retorqui: "37!". Sonho desagradável.

Sem comentários:

Enviar um comentário