domingo, 29 de dezembro de 2013

Eu estava bêbada e tinha-me envolvido sexualmente com umas brasileiras rasca. Uma vez sóbria, senti nojo de lhes tocar e lamber. Sei que elas falavam do desempenho sexual do John, meu ex-patrão, na cama.

sábado, 28 de dezembro de 2013

O David tinha morrido na casa-de-banho, enquanto tomava duche, na sua casa antiga. Angústia aflitiva.

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Eu em Barcelona na casa da Mel. Haviam lugares que ficaram por ir, porque eu tinha de apanhar o avião para Portugal, esses lugares pareciam, porém, algures na Escócia.
Já no aeroporto, apressei-me por já estar atrasada. Ia perdendo o avião mas a Andreia (Xoxa) de Aljezur interveio em meu favor, não sei porque raio estava ela ali, mas sei que conseguiu que o avião esperasse por mim, avisando que eu chegaria atrasada uns minutos. Eu cheguei e fiquei no cockpit com alguns homens da tripulação. Gerou-se alguma tensão sexual, principalmente entre mim e o piloto, que na verdade era o actor Michael Sheen (!). Quando cheguei a Faro, ia-me perdendo, aquilo mais parecia a Mouraria. Antes de apanhar o comboio para Lagos ainda fui a um supermercado.

domingo, 22 de dezembro de 2013

Os Lucas tinham morrido todos, à excepção da Rita.
Vi fotos do David no Japão, mais novo, de óculos, com a Fátima.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Em Barcelona, envolvi-me com a Becky, e pedi-lhe para não contar nada à Louie.
Manifestação de gays e lésbicas que se estava a tornar caótica. Eu fui com a cabeça contra uma porta enorme de madeira e o impacto foi enorme.
Lembro-me que o David esteve comigo e eu lhe contei o que me tinha acontecido e ele ficou preocupado. Disse-me que o Mullens fecharia durante 3 meses, para meu desconsolo.
Fomos à Praia dos Estudantes e ele pôs-me às suas cavalitas ao entrar na água. De repente, estávamos numa espécie de casa/gruta abandonada, que parecia ficar na rua do Mullens mas também na zona balnear, pois tinha areia em algumas partes. Aí também havia água em algumas partes e eu tive de continuar às cavalitas do David. Haviam seringas, retretes com mau aspecto, tudo apontava para ocupas com pinta de sala de chuto.
O Nick tinha-me enviado um e-mail.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

A minha mãe tinha-me oferecido uma caravana grande, uma autêntica casa com rodas, para eu morar, ali atrás da Escola Primária estacionada. Morei lá com um gajo qualquer e com o Bruce Willis, com quem estava envolvida, mas senti que ele tinha algo estranho no cu, hemorróidas, isso desagradou-me. A Cláudia foi lá visitar-me.
Marta Neto. Eu estava a ser eletrocutada e quase morri mas consegui desapegar-me daquilo.
Fui à loja dos chineses e as câmaras estavam num ângulo pouco usual.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Eu e David numa cama, juntos. Mas ele ora estava, ora não estava ali, foi confuso. Bruxas numa igreja. Rita Lucas ofereceu-me amendoins e outra comida qualquer. Borlinha que agora vendia Dr Martens. Rua da Igreja de São Sebastião. Um gajo no meu emprego que se tinha queixado de mim.

sábado, 14 de dezembro de 2013

domingo, 8 de dezembro de 2013

Lawrence e Nelson Mandela a correrem pelas ruas, equipados pelo Esperança de Lagos. Apocalipse. Papelaria Garrett. Um navio. Pessoas em Lagoa com sotaque algarvio carregado.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Eu tinha chegado à Escócia com os meus pais e fomos a um teatro abandonado fantasmagórico. Dormia num casebre onde encontrei um escorpião.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Era um aniversário e ano novo ao mesmo tempo, no Santo Amaro em Lagos. Julgo que do Lawrence. A mãe dele era loira e florista, em vez da Fátima. Eu, de tão bêbada, comecei a masturbar uma irlandesa muito bonita que lá estava com o namorado.
Eu senti-me muito em baixo porque passagem de ano sem David era triste. Estavam lá imensas pessoas que conhecia. Também me lembro de obstáculos ali na zona do Porto de Mós, tipo derrocada de terrenos e assim.

domingo, 24 de novembro de 2013

Eu estava a tentar falar com a Tavi Gevinson, mas muitas outras raparigas a perseguiam, fascinadas. Senti-me mal por ser apenas mais uma fã.
Uma mistura de Lisboa com Barcelona, com Zé Cabral pelo meio. Eu a ser fodida por brasileiras, com pessoas a assistir, entre elas o David. O Bruno entrou pela casa dentro, chocado com a cena, e a falar na cara do David e das outras pessoas que lá estavam perante tal deboche.

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Um serial killer andava a matar a minha família e a família de uma amiga minha. Foi aterrorizante. Julgo que o assassino coleccionava cabeças de mulher que pareciam perucas.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Eu e a Mel andávamos por Faro. Ela perguntou onde se comiam bons hamburgers e eu, como senti que estava em Campo de Ourique, disse para irmos aos do Jardim da Parada.
Eu bebia Irn-Bru.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Lembro-me de estar em Sintra, num lugar onde já tinha estado antes noutro sonho. Uma espécie de hotel ou biblioteca antiga, com bonitas portas e janelas em arte nova. Havia um vale, uma espécie de mata parecida com uma que há na Arrifana, muito sombria e sinistra, à qual descemos um bocado mas não até ao fim. Não me lembro com quem estava. Depois o sonho mudou para Santiago de Compostela. Fui lá a um clube que tinha piscina e tudo, estava lá a Daniela Love e eu tentei ir atrás dela para cumprimentá-la mas o Gustavo veio atrás de mim, dizendo que precisavam de mim para eu voltar ao trabalho. Havia uma localidade no mapa chamada "Paio" e quis muito mostrar à Cláudia. Alguém me tentou assaltar no tal clube nocturno, mas eu dei por isso a tempo e reagi agressivamente.
Depois fiquei a saber que o Kevin estava cá e que tinha sido ele a dizer a não sei quem que eu era a mãe do Lawrence.
Alguém inalava heroína.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013


Eu estava a tomar banho de imersão com o Jack Nicholson. Estávamos abraçados, eu muito relaxada, quase a passar pelas brasas. Lembro-me de me dar muito bem com ele. Ele perguntou-me se eu o achava bom actor e eu já desconfiava que me fosse perguntar isso. A meio do banho, fomos interrompidos por alguém que entrou dentro de casa, não sei bem para assaltar ou algo assim...
No Mullens, o David tinha-me dado um papel com um recado, e o Edward leu-o e até mandou uma boca. O David estava muito receptivo nessa noite.

sábado, 9 de novembro de 2013

O David levava shots de whisky à boca mas era eu que lhe pedia para não os beber, acabando por ficar com eles.

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

O Dinis entrava numa telenovela portuguesa, vestindo fato, e dizendo graçolas. Até tinha piada. Era actor, portanto, com pinta de comediante. Mais tarde, estava eu num quarto e tentar escolher o que vestir, pedindo conselhos ao David.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

A Nina, filha da Isabel, tinha vindo a minha casa. Estava muito diferente. Toda a gente ia não sei onde menos eu.
Mel e Lisa eram grandes amigas e estavam a fazer poucas vergonhas, todas despidas, com não sei quem. Senti-me incomodada com a ligação entre elas.

terça-feira, 5 de novembro de 2013

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

O Rogério Samora e eu tínhamos uma qualquer ligação e eu fiquei a cuidar do filho dele algures no Chiado. Irritei-me porque ele nunca mais vinha, e eu tinha de ficar com o puto mas apetecia-me ir comer.

domingo, 27 de outubro de 2013

Dei poppers a alguém mas os poppers eram glitter num frasquinho.

sábado, 26 de outubro de 2013

terça-feira, 8 de outubro de 2013

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

O David tinha morrido e eu não estava a conseguir lidar com o facto de ele já não estar na minha vida. Desespero total. Absurdamente, o Tom apareceu na minha vida, aliás, no meu sonho, e demos um beijo.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Eu tinha inalado heroína em vez de cocaína, como a Mia Wallace.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Sour cream que parecia queijo fresco, solidificado. Parracho. Dinis. Confusões. Algures por Laos e Vietname.

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Queijo dentro do frigorífico.
A Emma apareceu no meu local de trabalho, estranhamente amigável.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Cláudia e eu com Manuel Vieira dos Enapá2000.  Banho 29 ou Ano Novo. Gustavo, João, Cláudia... Dealers. Escritórios em Lisboa/Lagos que lembravam Mad Men. David e eu dentro de um desses escritórios, íamos ter sexo, julgo. Eu fiquei preocupada porque larguei a Cláudia lá fora para ficar com o David.

domingo, 15 de setembro de 2013

A Catarina tinha rapado o cabelo só de um lado e eu elogiei-a, comparando-a com uma gaja boa com o mesmo penteado.
Eu, Lawrence, Anderson, Gustavo, entre outros, fomos para o Porto, de autocarro. Gustavo e Anderson andavam descontrolados (bêbados? drogados?) e foram expulsos do autocarro. Enquanto isso, eu e Lawrence estávamos muito próximos fisicamente e ele até comentou que nunca pensou que se desse tão bem comigo, e houve ali contacto físico muito agradável.

sexta-feira, 13 de setembro de 2013


Numa grande casa, dezenas de mulheres enforcadas. Pareciam bruxas, envergavam preto.
A Catarina confidenciou-me que tinha consumido uma droga mas recusou-se a dizer-me qual.

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

A Cláudia tinha tido uma menina, e mudou-se com o Francisco para um apartamento um bocado mórbido/deprimente.

terça-feira, 10 de setembro de 2013


O David tinha arranjado um telemóvel, facto esse que me perturbou imensamente.
Noite. Lagos. Parque de estacionamento. Bifas. Gustavo a ir buscar uma dose qualquer.

sábado, 7 de setembro de 2013

Eu estava escondida em casa da Bolacha, e a Tania viu-me lá, embora eu tenha tapado a cara.

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Alguém me tinha empurrado de um sítio muito alto em frente à Igreja de Santa Maria, mas um segurança salvou-me. O David disse-me que ia embora e já não trabalharia mais no Mullens.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Eu, numa agressividade desmedida e inexplicável, esbofeteava a minha mãe, achando que ela se estava a vitimizar, e por isso assim, fazer-me sentir culpada pelo seu sofrimento, fazendo-me a mim sofrer. A minha própria agressividade chocou-me e abalou-me ansiosamente.
A minha prima Melissande estava em minha casa e apoiou a minha decisão repentina de ir morar para Lisboa. Deu-me uma epifania qualquer quando vi que uma locomotiva se aproximava do meu bairro, como se fosse um apeadeiro. Fui, portanto, para Lisboa, morar com a Mafalda que, por sua vez, morava com dois maquinistas lindíssimos pelos quais me apaixonei. Ou então apaixonei-me só por um mas confundia-os. Só sei que tinham namorada. Eles ou ele, nem percebo se era singular ou plural. Foi confuso.
Partilhei a cama com um deles, para minha grande satisfação. Houve ali uma agradável intimidade. Soube-me muito bem quando ele me massajou.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Não pude ir para Barcelona. Fiquei retida no aeroporto porque o meu cartão multibanco tinha lá a informação que eu tinha comprado erva ao Panik e então vi-me à rasca.

domingo, 21 de julho de 2013

Havia um serial killer à solta. Eu estava em casa com o Dexter e a Debra Morgan e eis que recebo um bilhete do assassino a dizer para eu ir ver o que ele me tinha deixado lá fora: o meu pai, esvaído em sangue, recém-assassinado. O sangue ainda jorrava. Fiquei em estado de choque. Horror.

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Era Ano Novo ou Banho 29, e eu e o David tínhamos ido sair juntos à noite. Entrámos num bar depois das 2am mas disseram-nos que já estava fechado, então fomos embora. Íamos a passar perto de uma estrada ou rotunda, e testemunhámos acidentes de carro, um grande caos, com um doido à solta que andava a esfaquear pessoas. Sei que fugi do tipo e me fui refugiar em casa do Gonçalo Talina. Lembro-me dele mais robusto, barbudo, disposto a ajudar. O assassino espreitava pela janela, enquanto eu me escondia no quarto, debaixo da cama, etc. Foi assustador. O pai do Gonçalo entrou no quarto, achando piada ao vê-lo com uma rapariga na cama, mas explicámos o que realmente se passava... e vejo que o pai dele é, imaginem só, o actor Fernando Luís! O estranho é que quem me queria atacar era um gajo com o qual tive uma ligação há anos atrás, tudo apontava para que fosse o Talina também. Confuso.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Eu e o David entrámos numa casa de outras pessoas, mas que estava vazia, para nos envolvermos sexualmente. Eu estava com barriga, parecia grávida de 3 meses ou assim, ou então era mesmo só pança. Lembro-me do David me dizer "é só para te avisar que tive sexo hoje, para que saibas.".

segunda-feira, 8 de julho de 2013

O Zé Lucas tinha descolorado o cabelo. Parecia o Tony Montana mas loiro descolorado.

domingo, 7 de julho de 2013

gorro cor-de-rosa

Eu ia a Londres com a Cláudia. Voo nº 55 ou algo do género. Quando já estávamos em Lisboa, no metro, a caminho do aeroporto, aparece o meu pai na plataforma, com um gorro cor-de-rosa, a dizer que não me podia esquecer de levar qualquer coisa para proteger a cabeça do frio. Foi meio confuso, porque estava calor.

sábado, 6 de julho de 2013

quinta-feira, 4 de julho de 2013

pânico-parecenças

Eu com uma cigarrilha. A Boy Named Sue. Eu em pânico porque a minha cara era muito parecida à da minha prima Filipa.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

crystal castles

Fui a um concerto de Crystal Castles com a Cláudia e a Alice estava muito gira, com umas collants ou leggings com padrão de banda desenhada.

domingo, 30 de junho de 2013

A Catarina estava grávida às escondidas da mãe, não sei como. Acho que escondia o filho dela numa pensão na Rua da Barroca. La Macarena como som de fundo.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Eu, a Cláudia, o Roque e o Pinho íamos a Viena de automóvel, mas eu estava atrasada e tinha de ir ter com eles a Anadia, à pressa, eu de alfa-pendular para alcançá-los.

terça-feira, 25 de junho de 2013

Eu e o Parracho explorávamos São Francisco, que no sonho era apenas mais uma área de Lisboa. São Francisco tornou-se Los Angeles, com a indústria cinematográfica em altas. David Lynch reparou em mim na rua e chamou-me para um casting para o seu próximo filme. Entrámos nuns estúdios, lembro-me de ver lá um avião parecido ao o do Apeles Espanca numa das grandes salas.
O David estava a morar ao lado da antiga GNR, numa casa com um portão igual ao da casa onde eu já morei antes. Ao lado havia um café de bairro onde trabalhava a Fátima. Fui lá buscar gelo e de ela me olhar com desagrado. E não sei porquê, houve merda e a Joana Jordan esbofeteou-me. Eu tinha ido a casa do David à noite para estarmos juntos.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

O David tinha um Airedale Terrier, mas no sonho dizia ser Yorkshire Terrier. Massacre em Lagos.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

A Maya Booth dava-me boleia para Lisboa com os pais dela, revelando-se muito simpática. Eu caguei-lhe o  banco do carro todo com diarreia. Embaraço.

terça-feira, 18 de junho de 2013

Telefonaram-me a avisar que a Sónia estava morta e comecei a chorar. Andava um serial killer à solta, e aparecia assim do nada, de repente, assustando tudo e todos. Houve uma vez que me obrigou a beber não sei o quê. No fim, veio-se a saber que o serial killer era o Huguinho, e que tinha sido tudo uma encenação. A Sónia estava viva, e eu senti-me mal por levar aquilo a sério.

sábado, 15 de junho de 2013

sexta-feira, 14 de junho de 2013

O Norberto, pai da Edwina, veio-me levar de carro até ao ginecologista. Tinha-me esquecido de levar a ecografia para o médico ver.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Eu a beber absinto. Uma cantina/biblioteca numa espécie de hotel que parecia abandonado, com um barco incorporado numa zona térrea.
Eu, Catarina, Cláudia, etc., tínhamos todos ido sair. Encontrei o Mick Jagger na rua, e dei-me tão bem com ele. Ficámos juntos, ele ria-se, adorei a sua companhia, embora alguns não estivessema a gostar da nossa cumplicidade. Isto foi no centro de Lagos. O Ralph Fiennes também andava pela cidade.

sábado, 8 de junho de 2013

Saída à noite em Lisboa com Lisa e A Boy Named Sue e mais umas gajas assim meio foleiras e desinteressantes. No fim da noite, eles despacharam-me para eu ir de táxi com essas gajinhas desinteressantes e eu não gostei.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

A minha mãe tinha morrido e eu nem queria acreditar. Lembro-me de estar com a Mel e com o Panik. Ela tinha comprado numa smartshop uns comprimidos, Adderal e outro com um nome começado por V, e disse que apenas batia durante pouquíssimo tempo.

terça-feira, 4 de junho de 2013

Eu estava a colocar umas ligas em cabedal, uma mistura entre Lara Croft, Indiana Jones e bondage sadomaso, de cor castanha, nas minhas ancas, enquanto sentia muito prazer com uma penetração que apenas sentia, não via.

sábado, 1 de junho de 2013

Fiquei muito feliz porque o Tom me veio visitar ao trabalho.
Momentos de puro terror com duas pessoas que me atormentavam e ameaçavam queimar a roupa que eu tinha no meu guarda-fato.

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Eu ia sair com a Mint Julep para um bar ou pub qualquer.

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Maria de Medeiros a servir à mesa. Comer bifanas. Uma cave. Inês Castelo morava no Príncipe Real numa rua perto de um auditório. Só espectros e espíritos arrepiantes na rua dela. Eu na praia com a Tânia Dias que foi da minha turma. Fizemos mergulho e as lentes não me saltaram. O Nuno Melo numa loja de chocolates/batons MAC a falar com uma tal Maria de Deus. Ele concorreu ao Big Brother. A minha prima Melissande também deambulava pelo meu sonho. Lembro-me de estar no Cais do Sodré à noite, atravessando ruas.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Eu e a Mafalda íamos jantar fora algures em Lagos. Fomos à pizzaria Italia e o John Travolta estava a servir às mesas. Acabámos por ir jantar no Mullens, numa mesa na qual também estava a Catarina e a Cláudia. Queria que a Mafalda conhecesse o David. Depois, lembro-me de estar numa espécie de consultório ou gabinete médico, possivelmente relacionado com optometria, onde eu pesquisava fichas de clientes arquivadas, procurando David Mullen.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

O Benfica ia jogar e eu queria consumir cocaína com o Parracho, mas sem que a Cláudia soubesse. A Debra Morgan andava pela rede de metro a matar gente e em fuga, estava igual ou pior que o Dexter. Albano Jerónimo e eu. Um café igual ao café de Santo Amaro.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

O meu primo Carlos tinha uma rede gay espalhada pelo país, cheia de perversão. O meu pai tinha ido à lota comprar camarões fritos e eu fiquei chocada porque os camarões fritos estavam a 49 euros o quilo!

terça-feira, 14 de maio de 2013

Eu estava em casa do David. A Astrid primeiro não me via, eu era invisível. Depois, via-me mas ignorava-me, como se não me visse. Depois, falava comigo normalmente. Astrid tinha produtos Cath Kidston, para meu espanto e desconforto. Astrid deixou David e este, em vez de querer logo ficar comigo, andou triste e hesitante, mais preocupado com o facto de Astrid o ter largado. Mas eu e ele acabamos por ir morar juntos na sua antiga casa, em frente à igreja de São Sebastião, que no sonho era maior. Confuso.

quinta-feira, 9 de maio de 2013

David e eu, juntos de novo. Daniela Barreira metida em esquemas, e tinha sido violada pelo pai, Zé Patão. Catarina e Emanuel vieram dormir ao Valmar Villas e fiquei agradavelmente surpreendida por vê-los na recepção.

terça-feira, 7 de maio de 2013

Lembro-me de estar finalmente com David mas em casa dele também estava o Edward e o Anderson, que por sua vez me tentou beijar.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Alguém fazia anos, talvez Panik ou Angelika. Havia festa à noite. Alguém tinha um líquido num conta-gotas, que supostamente era uma estranha mistura de ketamina e cocaína. Meti uma gota e lembro-me de estar na Rua Cândido Reis, sozinha, sentada num degrau duma porta um pouco mais abaixo do Mullens, completamente alienada e imóvel, com pessoas a passar por mim e a comentar o meu estado. Eu, catatónica, estóica, sem dizer nem fazer nada, não tinha capacidade para tal. Lembro-me de ir com a Angelika a casa dela com uma amiga alemã, que era perto do meu bairro, e tinha medo que os meus pais me vissem, porque já estava fora de casa há mais de um dia. Eu e a Cláudia tínhamos ido a um lugar onde iriam dar uma festa. Haviam drogas, comida, bebida, e dois gajos. Eu saí da festa quando era de manhã, estava sol. Saí com o Panik e ficámos a falar perto de um muro.

domingo, 5 de maio de 2013

Uma rapariga enforcada numa varanda. Um duplo homicídio em que duas pessoas estavam amarradas pela cabeça e foram esticadas até a corda rebentar e as cabeças saltarem, tipo o crime do Charles Manson. Assassinatos. Perseguições pela cidade. Hannibal e Clarice do filme Silêncio dos Inocentes.

sábado, 4 de maio de 2013

Nazis em Paris a irem a casas de prostituição em bairros que mais pareciam Portugal actual. Espionagem WWII. Sexo na rua.

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Numa mesa grande, estávamos várias pessoas a cheirar cocaína, inclusive o Chalita/Chala Bala (já é a segunda vez que sonho com ele num curto espaço de tempo), a quem eu disse que o facto dele estar ali representava um sinal, por já ter sonhado com ele antes. A Catarina também consumiu e disse que cheirava bem, tipo a mentol ou assim. O Zé Cabral andava metido em esquemas, dentro de uma espécie de escritório.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Eu estava numa cidade que era um misto entre Lagos e Lisboa. Lembro-me de ser perseguida por gajos de Leste num cemitério que parecia o Cemitério Velho de Lagos mas era maior. Também estive em casa de uma desconhecida, com mais gente, e acho que andava perdida.

terça-feira, 30 de abril de 2013

Andava um assassino à solta por Lagos e eu corria perigo.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Finalmente, estava apaixonada por outra pessoa: um marinheiro, ou pelo menos vestido com uniforme de marinheiro, todo branco. Não me lembro da cara dele mas estava mesmo a gostar dele, e envolvi-me com ele.

domingo, 28 de abril de 2013

Eu estava no condomínio do David a espiá-lo. Ele estava com a mulher dentro de casa, mas veio cá fora assim que me viu, e acho que ela queria vir atrás dele. Sorriu-me. Foi celestial. Ficámos a olhar um para o outro e ele disse-me que voltaria ao trabalho daqui a 3 semanas.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Eu e a Patrícia fomos cheirar cocaína para uma casa-de-banho de um bar, com a actriz Paula Neves.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Tinha passado quase um ano desde a última vez que vira o David. Seria desta? Ficou em aberto.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Eu e Catarina tínhamos encontrado dossiers verdes onde estavam as fotos da Aida e amigas a drogarem-se numa casa que já não existe. Lembro-me de ver a Gilsa a entrar ao serviço, enquanto eu a olhava. O Panik e mais outro gajo vieram de carro almoçar ou jantar a minha casa, com os meus pais. O resto do sonho foi todo em redor do David.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

A Inês já tinha o cabelo em bob e estava liso. Eu não conseguia decorar nem memorizar as minhas deixas do guião para um filme e estava a desesperar por isso. Lembro-me da Mel foder com um gajo igual ao Pepê Rapazotte ao meu lado, na cama, ela tocava-me e eu estava muito irritada com a situação. Vinha também uma tempestade e lembro-me de ver um tornado enorme na minha direcção. Só me restava abrigar-me numa divisão recôndita da minha casa.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Eu rondava persistente e desesperadamente a casa de David. Dirigi-me às traseiras, onde o vi com a mulher, ambos deitados em espreguiçadeiras, descontraídos, ela de chapéu de abas largas (para meu espanto). Ele viu-me a espreitar e sorriu-me com ar cúmplice e algo provocador.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

sábado, 6 de abril de 2013

O David estava de volta ao Mullens, e o nosso reencontro foi agradável. Porém, não contei isso à Cláudia, e resolvemos consumir ecstasy numa noite festiva de Verão, em pleno centro de Lagos, e o Vasco Snelling esteve connosco, para meu bel-prazer. A Catarina e o Emanuel eram para sair comigo e com Cláudia, para espanto meu, mas desapareceram sei lá para onde.

sexta-feira, 5 de abril de 2013

David. Jonathan. Ódio. Tinha a sensação que o defendiam. Falavam de certas regras a ter em conta na Alemanha. O Parracho a comprar cocaína para nós e a aparecer numa capa de revista. Eu a fugir enquanto era perseguida por um gajo. Alguém vinha comigo e ficou para trás. Infiltrei-me com outro homem numa casa vazia. O Bill Gates a passar por mim.

sábado, 30 de março de 2013

O Juca tinha ido a casa do David para sondar a situação.
 
Eu estava a dormir com um gatinho e com um cachorrinho, e primeiro estava a abraçá-los mas depois estava a magoá-los.

sexta-feira, 29 de março de 2013

Um cordeiro pronto a ser abatido.  Alguém me tranquilizou dizendo que ele não sofria tanto durante a morte, porque como era pequeno, ainda não tinha os receptores da dor e sofrimento suficientemente desenvolvidos.
 
Numa sala de cinema, a Catarina Castanho estava lá com o Soninho, e eu quis sentar-me ao lado dela. Achei estranho ele preferir sentar-se na fila de trás em vez de se sentar ao lado dela.

À porta do Centro Cultural, estava um gajo igual ao Rolim, com quem eu tinha mantido uma correspondência estranha, através de uma garrafa com uma mensagem dentro que veio dar à costa, à qual ele respondeu.

Lembro-me também de estar na casa de alguém, e também de falar sobre consumo de drogas com o "Rolim".

domingo, 24 de março de 2013

Reencontro entre eu e Jean Paul com muita cumplicidade.
Numa saída à noite, eu e a Cláudia estávamos a contemplar descaradamente a barriga de grávida da Fizzt, que estava à porta de um bar. Parecia uma mistura entre Lagos e o Bairro Alto, a rua onde estávamos.
A Astrid ia à Áustria e eu queria entrar em contacto com David. Ele foi sair com malta jovem e eu fiquei perturbada. A Cláudia disse-me que ele de certeza que iria ter um affair com a Cátia, porque era a mais bonita do grupo. Eu entrei em pânico e andei pela cidade de Lagos inteira à procura dos dois, ou mesmo dele. Até entrei no condomínio dele pelas traseiras, desesperada. Também fui perguntar ao Lance onde raio andava o David. Andei pela Ameijeira e já o sol tinha nascido, e eu ainda à procura dele.

sábado, 23 de março de 2013

sexta-feira, 22 de março de 2013


Eu tinha uma casa com piscina.
Numa noite, fui com a Cláudia ao Internacional Café, que se situava no Miam Miam Glou Glou, para ela beber um "St.Patrick's", que no sonho era uma bebida que parecia um smoothie ou milkshake verde, com sabor a menta, muito cremoso e delicioso. Os Snellings andavam por ali. De repente, um barco grande atravessou a rua da esplanada, e eu comentei com a Cláudia que aquilo parecia a cena do filme "Speed 2".

quinta-feira, 21 de março de 2013

Eu estava grávida desde Janeiro. Queria abortar com urgência antes que fosse tarde demais mas o prazo estava a apertar-se.

quinta-feira, 14 de março de 2013

Eu e Sónia a deambular por Macau. Havia uma área inundada, tipo canal, onde só se podia andar de barco. Vi também onde era a casa de putas, parecia de luxo.

terça-feira, 12 de março de 2013

Eu tinha fugido de uma espécie de manicómio. Sei que matei alguém lá dentro e fiz merda. Quando fugi, fiquei fodida porque me esqueci da minha máquina fotográfica durante a fuga. Em seguida, vagueei pelo Porto com uma amiga que já não me lembro bem quem era. Lembro-me de ver a Aida a prostituir-se na rua, a abordar um puto, e a fazer malabares a pedir esmola.

quarta-feira, 6 de março de 2013

Pesadelos em que o David era o Cadinho e a Astrid a Noémia, e esta falava comigo como se fossemos amigas.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

A minha tia Mena ignorava-me e desprezava-me e eu tentava saber porquê através da Filipa.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Dois dias consecutivos de uma saga de pesadelos com David e Astrid. Num deles, estava com Cláudia, confrontado Astrid e Tania num ambiente de terror no seu condomínio, um jogo de gato e rato. Quando a luz falhou, ficámos às escuras e entrei em pânico.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

O Roger tinha vindo a Portugal investir 200 mil euros numa piscina que parecia um pântano.
Eu estava toda nua, na rua, em frente a um gajo desconhecido. Que vergonha.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Eu a rondar a casa do David. Astrid a vir na minha direcção com uma criança pela mão.

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Eu ia começar a visionar a série Girls, que a Cláudia vê.
Outra vez envolvimentos íntimos com o Ian Witchell.

sábado, 2 de fevereiro de 2013


Eu a trocar heroína por MDMA.

O Lars a assediar-me na cave da clínica veterinária, em serviço, ele prestes a beijar-me.

O Parracho à procura de tabaco, e pelos vistos só o facto de procurar por tabaco custava 1 euro e 22 cêntimos.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013


Soraia Chaves a ir para minha casa. David na cama com Angelina Jolie mas a dizer que não era a mesma coisa que seria comigo.
Eu a tentar acordar a Mel para lhe contar que tinha tido um affair com um elemento do casal vizinho dela.

O Parracho tinha ido à minha casa buscar-me. Estava lá a minha mãe e tudo. Fomos de carro não sei para onde, em Lagos, e quando passávamos junto ao muro do cemitério velho, ao contornar o meu bairro, começaram a cair-me os dentes. Foi horrível. Uns com sangue e completos, que abanavam, abanavam, e de repente caíam, saltando pela raiz. Outros saíam sem sangue, ou então saía só o esmalte, a coroa. Um HORROR! Eu, em pânico, voltei para casa para tentar controlar a situação, em completo desespero.

Vi-me com o Panik e mais outro gajo (um dois dois parecia o Darkson da telenovela devido às roupas meio dread) num quarto. Eu estava na cama com o Panik e começámos a foder, ele até tentou que eu lhe fizesse um broche, mas eu sempre evitei, e não estava a gostar assim tanto do nosso envolvimento sexual.
Lembro-me de eu, ele e mais raparigas termos jogado no Euromilhões e ganhámos! Foi uma emoção! Como tínhamos que dividir a quantia por nós todos - éramos 9, acho eu - fomos de carro com um homem duvidoso tipo capanga, nem sei bem para onde, só sei que tivemos de nos debruçar e ir buscar os sacos com dinheiro que pendiam de estendais ou cabos. Fomos colher o dinheiro. Depois foi uma alegria, eu dizia que era o dia mais feliz da minha vida.

Depois tive alguns problemas com um tipo responsável por uma equipa de andebol numa escola, não sei exactamente porquê mas ele perseguia-me. Eu andava com um cão atrás. Sei que ele me acusava de algo que me iria meter em sarilhos.

domingo, 13 de janeiro de 2013

Pesadelos com a Astrid.
Tive sonhos eróticos com a Michelle Pfeiffer! Estávamos num meio onde tivemos que fazê-lo discreta e secretamente. Eu fiquei doida por ela, ao ponto de, no fim, lhe confidenciar ao ouvido: "Assim que chegar a casa, vou ver o Batman Returns e masturbar-me a pensar em ti vestida de Catwoman..." (!).

sábado, 12 de janeiro de 2013

Só me lembro de estar com o David e de receber jóias/pedras preciosas.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Pesadelos com a minha prima Filipa. Ela e as amigas (Mafalda, Juju, Patrícia, etc.) deixaram de me falar e fingiram que não me conheciam, para minha irritação. Estavam todas na loja que era da Margaret, mas que agora era a gelataria de uma delas. Acho que até se recusavam a servir-me.
Eu estava a partilhar uma casa com a Catarina, num andar alto, que parecia o meu prédio mas não era. Tinha um quarto com cama de casal onde recebia o David.
Haviam cadeiras pela casa que eu tentava arrumar, de forma a dar um ar mais harmonioso.
O vizinho Arlindo era mau, porque falava mal da minha mãe, mas então quem falava da minha mãe era o meu avô, que dizia que ela tinha mau carácter.

domingo, 6 de janeiro de 2013

O Lars disse a uma rapariga que me despediu porque eu e o Norman não nos dávamos bem e eu revoltei-me por ele ter inventado uma parvoíce dessas.

sábado, 5 de janeiro de 2013


Eu tinha experimentado heroína. Vagueei por Lagos.
Eu, Cláudia e Elisabete - e acho que mais alguém, um gajo, julgo, mas que não chegou a ir - estávamos prestes a embarcar numa jornada em viagem de auto-caravana. Algures numa casa qualquer, não sei onde, mas algo tinha acontecido.
Tagliatelle no meu prato...
Eu e David a ter sexo formidável.